Talentos olímpicos surgem na escola
Se quisermos medalhas temos que mudar a filosofia da escola pública

E agora José? O Rio de janeiro vai sediar os jogos Olímpicos de 2016. A contagem regressiva para as medalhas já começou. Mas quem são esses medalhistas? Teoricamente os adolescentes hoje com idades entre 12 e 14 anos que já deveriam estar selecionados num programa de treinamento de médio e longo prazo garimpado principalmente nas escolas de ensino básico e fundamental. E agora José? Mais da metade das escolas públicas no estado nem quadra de esportes tem e são dados oficiais do Censo Escolar 2008 do Ministério da Educação. As que têm são precárias e falta material esportivo. Fico imaginando o que fazem os professores de Educação dessas escolas. Talvez se as Olimpíadas tivesse uma categoria do improviso certamente esses professores seriam endeusados. Isso mesmo! Só com uma dose muito alta de boa vontade dá pra trabalhar em Educação Física na escola pública.

Embora não seja esse o objetivo da Educação Física escolar, é a oportunidade da criança ter contato com os esportes e se descobrir talentos esportivos. Na situação atual milhares de crianças nunca saberão dos seus valores. Muitas delas até esboçam a prática de algum esporte, mas acabam desistindo por diversas razões tais como mudança de interesse associado à falta de condições financeiras porque precisam trabalhar seguindo outro caminho, pouco incentivo dos pais porque também não foram educados para isso, problemas de relacionamento com o técnico e/ou colegas, despreparo para enfrentar situações de derrota entre outras.

PUBLICIDADE

Os raros talentos esportivos que temos foram descobertos ao acaso, com muita sorte, abnegação dos pais, patrocínio privado e não fruto de um programa global e sistemático como fazem nos países desenvolvidos.

A gente sabe que não basta ter talento onde o fator genético é fundamental. É preciso já na infância ao ser descoberta e selecionada a criança seja incentivada a freqüentar um programa de desenvolvimento das valências físicas dentro de uma progressão pedagógica.

A diversão é o modo mais fácil de motivar uma criança a praticar uma atividade esportiva seguida da necessidade natural de estabelecer um vínculo social. É preciso lembrar que o ser humano é competitivo pela própria natureza. Mal começa a andar já quer correr mais do que a outra criança. Mal aprendem a dominar o velocípede já querem pedalar mais rápido do que o coleguinha e assim vai.

O esporte de base começa nas escolas e nas comunidades e se queremos descobrir talentos é preciso fazer muito. Os especialistas apontam que de cada 2000 crianças apenas 2% podem apresentar condições natas para serem encaminhadas para um treinamento esportivo de rendimento a longo prazo e talvez nem a metade chegue a uma medalha Olímpica. No Brasil esporte e educação não andam juntos e qualquer cidadão de bom senso sabe que um depende do outro. A Educação Física escolar tem importância na formação de um ser humano mais completo e não apenas representa prática esportiva pura e simples ou descoberta de talentos. Faz algum tempo que o esporte na escola deixou de ser importante. No ano passado o ex-secretário de esporte Lars Grael afirmou numa entrevista a um jornal que basta uma comparação dos índices atuais dos jogos escolares com os dos anos 80 para ver que são todos piores. As escolas deixaram de lado a prática esportiva e os professores de Educação Física, coitados! Dão “murro em ponta de faca”. Claro, a culpa não é deles. É do poder público.

PUBLICIDADE

E as escolas públicas da cidade de Petrópolis no estado do Rio de Janeiro? Será que são muito diferentes do resto do estado? E o esporte nas comunidades? Existem? O pouco que tem se deve a incansáveis abnegados que nada recebem por isso. Eu sei por que moro na cidade. Até o esporte de base que é o atletismo anda mal das pernas. Lembro-me que até 2003 além do Ranking Petropolitano de Corrida de Rua com mais de 10 competições durante o ano ainda tinha um calendário de provas infantil muito disputado que selecionava crianças para a tradicional São Silvestrinha em São Paulo. 

Na semana passada os leitores da cidade acompanharam no jornal Tribuna de Petrópolis que o prefeito tem uma séria inclinação de acabar com a Secretaria de Esportes. Ora, se acharem que o atual secretário não é bom, Petrópolis tem profissionais competentes para assumir o cargo e fazer muito pelo ideal Olímpico. Acabar com a secretaria não seria andar na contramão do momento Olímpico que vivemos? É de Ulisses Guimarães a frase: “A vocação do político de carreira é fazer de cada solução um problema.”

Cartas para: lcmoraes@compuland.com.br
Luiz Carlos de Moraes CREF1 RJ 003529

Para Refletir: "Os homens hão de aprender que a política não é a moral e que se ocupa apenas do que é oportuno." (Henry David Thoreau)

Sobre a Ética: O único livro que registra a verdade absoluta de cada um é a consciência. Quando não queremos saber a verdade, por conveniência não o consultamos. Moraes 2009.

PUBLICIDADE


Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Artigos relacionados:
Olimpíadas 2012 - Londres
Wenlock e Mandeville - Mascotes Olímpicos
Futebol brasileiro nas Olimpíadas de Londres 2012 - Seleção brasileira
Revezamento da Tocha Olímpica - Jogos Olímpicos de Londres 2012
Tocha Olímpica de Londres 2012
Paraolimpíadas Londres 2012 - História, esportes
Atletismo nas Olimpíadas de Londres 2012
Vôlei brasileiro nas Olimpíadas de Londres 2012 - Voleibol masculino, feminino e de praia
Cerimônia de abertura das Olimpíadas de Londres 2012
Natação nas Olimpíadas de Londres 2012
Esportes nas Olimpíadas de Londres 2012
Calendário das Olimpíadas - Jogos Olímpicos de Londres 2012
Olimpíadas 2008 - Pequim
Cultura chinesa e hábitos chineses
Beijing 2008, Peking ou Pequim?
Pequim 2008 - Protestos do Tibet
Novos Jogos na Olimpíada de Pequim - Esportes nas Olimpíadas
Países que participam das Olimpíadas de Pequim 2008
Cerimônia de abertura das Olimpíadas de Pequim 2008
Calendário das Olimpíadas - Jogos Olímpicos de Pequim 2008
Paraolimpíadas Pequim 2008
Natação nas Olimpíadas de Pequim 2008
Atletismo nas Olimpíadas de Pequim 2008
Handebol brasileiro masculino e feminino nas Olimpíadas de Pequim 2008
Vôlei brasileiro nas Olimpíadas de Pequim 2008
Futebol brasileiro nas Olimpíadas de Pequim 2008 - Seleção brasileira
Revezamento da Tocha Olímpica 2008
História das Olimpíadas
Significado da Tocha Olímpica
Política nos Jogos Olímpicos

Medicina Tradicional Chinesa - Teoria e eficácia
Fuwa - Mascotes das Olimpíadas 2008 Pequim
Anéis Olímpicos
Política nas Olimpíadas
O que restou das Olimpíadas
Atletas mais altas são as que tiveram a primeira menstruação mais tarde

Créditos:
Texto copyright © 2008 por Luiz Carlos de Moraes CREF/1 RJ 003529
lcmoraes@petrobras.com.br | lcmoraes@compuland.com.br  
Leia mais artigos sobre esporte e saúde no site Notícias do Corpo

 

Use essa ferramenta abaixo pesquisar nesse site:  


© 1999-2017 Helio A. F. Fontes
Utilização de material original do site
Copacabana Runners - Atletismo e Maratonas