Como correr mais devagar ao treinar

Pergunta: O que pessoas com tendência a treinar muito forte podem fazer para se controlar e correr mais devagar?

Resposta do Professor Carlos Gomes Ventura

As pessoas com tendência a treinar forte devem ser controladas pelo técnico, que deve explicar a elas que treinar forte não significa entrar em forma, muito ao contrario, pois atletas de fundo principalmente, que fazem percursos fortes ou trabalho de pista fora do programado alem da indicação do treinador, acabam tendo um retrocesso na performance.

O treinador que segue rigidamente sua periodização sempre terá problemas com corredores com esta tendência. Treinar forte ou fraco faz parte da disciplina individual do corredor e parâmetro para o treinador.

O corredor com tendência a treinar forte sempre acabará colhendo os frutos deste tipo de atividade. É fundamental que o treinador explique aos seus atletas a atividade do coração e a necessidade de um controle a nível dos batimentos de cada um dos seus atletas. 

Carlos Gomes Ventura (Carlão) blog, Telefone: (11)3686-5384, e-mail

Livro
Manual do Corredor - A Grande Pirâmide

Manual do corredor - Carlos Ventura - clique aquiCarlos Ventura é um dos treinadores brasileiros de maior sucesso. Em seu novo livro, Carlão responde às indagações mais comuns entre nós corredores. A sabedoria de décadas de experiência do Carlão são passadas de forma simples e clara para corredores de todos os níveis de performance.
Saiba mais sobre o livro...


PUBLICIDADE


Resposta do treinador Nilson Duarte Monteiro

Usar um freqüencímetro cardíaco e correr dentro da zona alvo. Como fazer isso? Muito simples, tirar o escorpião de dentro do bolso e gastar num equipamento fundamental nos dias de hoje para que tenhamos controle do treino e não excedermos na dose.

Muitos atletas amadores, ou a grande maioria, tanto homem como mulher, excedem na dose. Todo mundo gosta de mostrar para as pessoas que correm num estilo bonito, que conseguem correr mais forte, etc.

Isso acontece quando treinamos em lugares muito freqüentados, como nos parques e academias. 

O sujeito sai para fazer a corrida dele, logo no começo do treino, ele indo e uma linda menina vindo. Ele no afã de aparecer para ela aumenta o ritmo, estufa o peito, quer dizer, sai totalmente da biomecânica de corrida dele. O esforço está grande, o ritmo está extremamente forte, mas não perde a pose, porém, quando a menina some de vista, ele volta ao velho estilo pesadão, ritmo fraco etc... Logo em seguida passa um outro atleta num ritmo mais forte, e ele tenta acompanhar e assim vai, o treino todo; um aumenta e diminui de ritmo que até parece fartlek. Isso o tempo todo, todo dia, não há corpo que agüente. Resultado; um overtraining. Isso acontece em todos lugares movimentados, tanto nos parques, ruas e academias. Por isso, que a maioria dos técnicos fazem com que seus atletas treinem em lugares sem muito movimento, para que se concentrem no que estão fazendo.

Quem nunca passou por uma situação dessas acima, que atire a primeira pedra.

Quando não há lugares tranqüilos para executar os treinamentos, o freqüencímetro cardíaco é o técnico que dá bronca, avisando com sinais sonoros o apressadinho que ele ultrapassou a zona alvo do treino.

Quem me dera se na minha época de atleta eu tivesse tido a oportunidade de treinar com essa engenhoca. Tínhamos que treinar a cabeça, para controlar nossa ansiedade e nosso exibicionismo, além do técnico nos dando esporro a cada variação de ritmo.

Treinar forte todo dia é um passaporte para um overtraining ou algo mais sério, como uma lesão. Aí, o sujeito não vai mais treinar forte, ele não vai nem treinar, pois vai ficar bichado por um bom tempo.



PUBLICIDADE


Resposta do Professor Luis Tavares

É bem complicado, geralmente o atleta que tem muito potencial e inexperiente na corrida, tem a tendência de treinar forte e não tem consciência do risco que pode ocasionar, como lesão, overtraining, etc.

O importante é ter uma conversa séria com o atleta, conscientizando e explicando os riscos.

Infelizmente eles realmente aprendem, no momento que eles se machucam e ficam alguns meses parados.

Por isso que reforço que a maneira de controlar deles correrem forte, é muita conversa, explicação dos riscos.

Professor Luis Tavares
Telefone: (11)3159-8456 - e-mail: e.c.tavares@uol.com.br - site: http://www.ectavares.com.br


PUBLICIDADE

Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Artigos relacionados:
Ritmo na parte inicial das competições
Como planejar seu calendário de corridas
Alimentar corretamente
Capacidade aeróbica
Maratona: força e flexibilidade  
Melhorando a performance: Pense positivo! 
Princípios básicos de treinamento para corredores 
Sessões de Treino para a Maratona
Plano de 10 passos para corrida eficiente
Preparando suas pernas para 42 km de asfalto duro
Treino, recuperação, supercompensação
Tomada de decisão durante a maratona
Preparação para o dia da corrida
Acelerar a recuperação de competições
Taxa ótima de treino x recuperação
Estabelecendo objetivos para a corrida
Benefícios das corridas longas
Jogos Olímpicos - Olimpíada de Londres 1908 - Distância oficial da maratona
História da São Silvestre
Correr escutando música?
Recuperação de viagem para competir em corrida de longa distância

Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

VoltarVoltar