Aumentam as lesões na musculação

Embora a grande maioria das pessoas ainda seja sedentária, o número de pessoas que procura a atividade física como forma de melhorar a saúde é bastante significativo. 

As opções são muitas. Caminhar, correr, nadar, pedalar, malhar numa academia, em casa ou mesmo contratar um personal trainer. Desse público, muitos acabam desistindo por vários motivos, sendo um deles a aquisição de uma lesão ou, na melhor das hipóteses, não ter conseguido o resultado esperado.

Por vezes, se deve ao famoso "querer se dar bem". Ou seja, fazer atividade física gastando pouco ou nada e não faltam revistas indicando séries de exercícios como se fossem "receita de bolo". Por outro lado, o número de academias boas e ruins, também aumentou bastante obrigando a uma concorrência muitas vezes desleal. Se, as grandes academias podem pecar por não comportar a grande procura, as pequenas e baratas podem não dispor de equipamentos que ofereçam um mínimo de segurança.

PUBLICIDADE

Nos últimos anos a corrente pelos exercícios de força tem sido bastante evidente face aos resultados favoráveis de diversos estudos. Em contrapartida, a escolha errada da orientação ou a teimosia de querer fazer sozinho, tem levado a um aumento considerável de lesões na musculação. É o que sugere um estudo conduzido pela equipe do Dr. Chester Jones da Universidade de Arkansas nos Estados Unidos e publicado na revista The Physician and Sports Medicine em julho de 2000. Segundo o estudo, as lesões oriundas da musculação exigindo tratamento médico aumentaram 35% entre 1978 e 1998. Importante. Cerca de 1 em cada 4 dessas lesões ocorreu devido ao mau uso de equipamento de musculação. Ou as pessoas estão tentando fazer sozinhas em casa seguindo uma dessas receitas de bolo, se em academia desprezaram orientação do professor aumentando por conta própria a sua carga ou então usaram equipamento velho e ou sem manutenção.

Na pesquisa tem outro dado igualmente interessante e preocupante relacionado à idade. Entre os homens com mais de 65 anos a incidência de lesões cresceu 30% e nas mulheres entre 45 e 65 anos mais de 50%.

PUBLICIDADE

Já é bem estabelecido pela ciência os benefícios dos exercícios de força na prevenção da osteoporose e principalmente na independência do idoso. Isso não significa ir "com sede ao pote" como solução para tudo.

Outro dado interessante é que o número de lesões é muito maior nas pessoas que fazem exercício em casa incluindo acidentes com crianças. Sala de musculação, seja em casa ou em academia não é lugar de criança. Alguém discorda? Elas acham bonitinhos aqueles pesinhos coloridos que para elas pegarem e deixar cair no pé pouco custa.

O pior dessas lesões é a possibilidade do abandono definitivo da atividade física. Nas pessoas de mais idade o tratamento é mais demorado o que pode levar a um desânimo por ter perdido praticamente toda a performance adquirida tendo de começar tudo de novo.

Portanto, qualquer pessoa, de qualquer idade, ao começar por um programa de treinamento, seja na academia ou em casa, deve se conscientizar de que a orientação profissional é necessária em qualquer situação. O personal trainer acabou ficando rotulado como uma opção seletiva só para pessoas de alto poder aquisitivo. Não é bem assim. Ele pode ir à sua casa com planos perfeitamente acessíveis e negociáveis. Da mesma forma, academia, seja grande ou pequena, tem bons e maus profissionais. Quando vamos ao médico, nunca "tiramos par ou impar" para marcar uma consulta. Sempre pedimos indicação de alguém que tenha ido. Porque não fazemos o mesmo ao escolher o profissional de Educação Física e ou a academia?

Portanto, aí vão algumas regrinhas a fim de evitar que você um dia engrosse a lista de lesionados na musculação: 
1) Siga orientações de profissionais habilitados pelo CONFEF. 
2) Use a carga certa. 
3) Verifique os aparelhos antes de usar. 
4) Monte e desmonte as anilhas com atenção respeitando regras de segurança e ergonomia no transporte de um lugar para outro. 
5) Preocupe-se com a execução e postura biomecânica corretas. 
6) Respeite os intervalos de acordo com os objetivos. 
7) Aumente a carga seguindo os ciclos de treinamento e somente depois de discutido com o profissional. 
8) Faça o repouso ativo ou inativo conforme a necessidade. 
9) Alimente-se de modo regular. 
10) Tenha bom senso. Simples, né?

Cartas para essa coluna:
Luiz Carlos de Moraes CREF/1 RJ 3529 - E-mail: lcmoraes@compuland.com.br

Para Refletir: A verdadeira sabedoria não está só nos diplomas, mas também no autoconhecimento.

Sobre a Ética - Ninguém precisa apontar ou derrubar um mau profissional porque isso é antiético. Ele cai sozinho.

Saiba mais:
Lesões na musculação
Está faltando mais orientação na musculação - Prevenção de lesões
Dor nas costas
Pilates x Musculação
Encaixe do quadril não existe
Lesões por esforço repetitivo - LER
Lesões por superuso x Lesões traumáticas
Psicologia e respostas emocionais a lesões esportivas
Dor no Joelho - Síndrome Patelofemoral
Artroscopia - Cirurgia para o joelho
Torcicolo - Dor no pescoço
O que você precisa saber sobre suas costas
Dor na coluna - causas, tratamento
Exercícios físicos e problemas de coluna como lordose, cifose e escoliose
Desvios posturais e lateralidade podem ser corrigidos com musculação
Boa postura corporal e postura sentada
Lombalgia
Degeneração do Disco Intervertebral Lombar
Dores nas costas
Exercício avanço é bom para os glúteos e posteriores de coxa


PUBLICIDADE


Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Texto copyright © por Luiz Carlos de Moraes CREF/1 RJ 003529 - lcmoraes@petrobras.com.br | lcmoraes@compuland.com.br