Como controlar o impulso de comer demais

Homem se controlando para não comer biscoitos - NIH

Já tentou comer somente uma batata frita, ou apenas um pequeno pedaço de bolo de chocolate? Pode parecer impossível. Pequenas coisas podem engatilhar nossa necessidade de comer mais. Algumas pessoas sentem necessidade de continuar comendo até o ponto que a comida não é mais prazerosa. Você sabe que o ganho de peso resultante pode prejudicar sua saúde. Então, por que continuamos comendo cada vez mais quando sabemos que isso não é bom?

Comportamentos fora de controle em relação à comida podem ser bem parecidos com a dependência de drogas e outras substâncias. De fato, estudos de imagens têm mostrado que drogas que criam dependência podem sequestrar os mesmo caminhos cerebrais que controlam a alimentação e respostas de prazer aos alimentos. Pesquisas estão estudando a biologia do descontrole ao comer para tentar encontrar novas formas de ajudar pessoas a controlarem esse comportamento.

PUBLICIDADE

“Há um elemento viciante nos alimentos, especialmente os com muitas gorduras ou muitos carboidratos, que faz muitos de nós comer exageradamente”, diz Dra. Nora Volkow, diretora do National Institute on Drug Abuse. Ela vem estudando o papel do cérebro na dependência a drogas e obesidade por mais de 20 anos. Dra. Volkow e outros cientistas têm descoberto que alimentos muito calóricos agem como drogas viciantes: ativando o sistema de recompensa do cérebro e liberando substâncias como dopamina que o faz sentir-se espetacular. Então, é natural querer mais. De fato, “querer mais” ajudou os primeiros humanos a sobreviver. 

“Nosso cérebro está arquitetado para responder positivamente a alimentos que tem grande quantidade de gorduras ou açúcares, uma vez que estes ajudaram nossos ancestrais a sobreviver em um ambiente onde a comida era escassa”, diz Dra. Volkow. “Na sociedade atual, porém, alimentos muito recompensadores estão por toda parte”.

Ver, cheirar, provar ou até escutar certas “deixas”, desde anúncios de comida no rádio até o aroma de sorvete de baunilha no shopping, pode nos fazer procurar por alimentos mesmo quando não estamos com fome. Estudos cerebrais mostram que essas “deixas” são mais fortes para pessoas obesas. 

PUBLICIDADE

Enquanto certas áreas do cérebro nos fazem procurar por alimentos doces ou gordurosos, outras regiões cerebrais nos ajudam a controlar esses desejos. Podemos ajudar nossas regiões cerebrais “racionais” a tomar controle evitando tentações saborosas e desenvolvendo hábitos saudáveis.

“Cada um de nós deve saber que há algumas comidas que não conseguimos mais parar de comer uma vez que começamos. Dessa forma, as evite em casa. Não as compre ou comece a comê-las, porque isso pode engatilhar alimentação descontrolada”, diz Dra. Volkow.

Faça da alimentação saudável parte da sua rotina, ao substituir hábitos pouco saudáveis. Coma frutas ao invés de biscoitos como sobremesa, ou tenha um lanche da tarde de cenouras no lugar de batatas fritas. No lugar de ir direto para a geladeira depois do trabalho, faça uma caminhada pela vizinhança. Com o tempo, hábitos saudáveis podem se tornar parte da sua vida. Você os fará sem nem mesmo pensar. 

“Infância e adolescência são épocas ideais para desenvolver hábitos saudáveis”, diz Dra. Volkow. “Hábitos de alimentação saudável o ajudarão a proteger contra as doenças associadas à obesidade”. 

Saiba mais:
Compulsão alimentar - O que é esse transtorno e tratamento
Compulsão alimentar na bulimia nervosa
Elixir da vida longa é fazer exercício, comer pouco e meditar
Estilo de vida saudável
Como ter uma vida mais longa e saudável
Hábitos Saudáveis de Vida
Hábitos de vida saudável
Mudanças no estilo de vida, da saúde à doença
O “homo barrigudus” vive menos
Alimentação para vida mais longa e saudável
Transtornos alimentares: o que são, tratamentos
Biologia da dependência
Comendo demais?
Jogo patológico ou vício em jogos de azar
Mais saúde e diversão nas festas de fim de ano


PUBLICIDADE


Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: copyright © 2016 por Helio Augusto Ferreira Fontes
Texto: NIH – National Institutes of Health