Corrida favorece sistema imunológico de idosos
Prática constante de corrida favorece sistema imunológico de idosos

A prática da corrida, quando realizada por vários anos, pode desacelerar a diminuição das atividades do sistema imunológico humano decorrente do envelhecimento (imunosenescência). Ao comparar a atividade imunológica de homens idosos que correm habitualmente, com homens sedentários (idosos e jovens), o médico Milton Hideaki Arai mostrou que a prática do esporte retarda a imunosenescência.

"Os idosos corredores apresentaram um condicionamento físico 52% maior do que os idosos sedentários", aponta Milton Arai. "Esse condicionamento foi semelhante ao encontrado no grupo de jovens", completa o pesquisador, que é médico do Hospital das Clínicas e professor da Faculdade de Medicina da USP. Além disso, por meio de testes laboratoriais, verificou-se que a proliferação de linfócitos T (principais células do sistema imunológico) foi maior em idosos corredores do que nos sedentários. "No processo de envelhecimento, essa resposta proliferativa diminui", conta.

PUBLICIDADE

O pesquisador também verificou nos três grupos (idosos corredores, idosos sedentários e jovens sedentários) uma alteração na produção de interleucinas, pequenas proteínas, de vários tipos, produzidas preferencialmente pelos linfócitos T e que atuam tanto nos linfócitos T como em outras células do corpo.

No caso das interleucinas 2 (que diminuem conforme envelhecemos e cuja função é "orquestrar"o funcionamento do sistema imunológico), os idosos corredores apresentaram uma produção maior, em comparação aos idosos sedentários, e semelhante aos jovens. Já as interleucinas 6, (quanto mais presente no organismo, maior é a possibilidade de o idoso apresentar incapacidade funcional), os corredores apresentaram quantidade menor em relação aos idosos sedentários. E na análise das interleucinas 3 (relacionadas a hematopoiese - processo ligado à produção de sangue pela medula óssea, e que aumentam com o envelhecimento), os idosos corredores mantiveram a produção semelhante à dos jovens. Os idosos sedentários apresentaram uma produção maior.

PUBLICIDADE

Repercussão clínica
Mesmo tendo comprovado os benefícios imunológicos da prática constante de corrida, o médico é cauteloso quanto à repercussão clínica. "Não é possível afirmar que os corredores idosos tiveram um número menor de infecções e de doenças, pois isso não foi avaliado na pesquisa", conta Milton Arai. Ele ressalta que esta constatação dependeria de um estudo específico que abordasse o tema.

"O que nós, médicos, já sabemos é que a prática de meia hora diária de exercícios físicos, cinco vezes por semana, diminui a gordura abdominal (ligada a problemas cardiovasculares), previne e controla a osteoporose, a hipertensão e o diabetes, aumenta o colesterol bom e diminui o ruim, e previne também contra o câncer de cólon e o de mama", afirma.

Participantes
A pesquisa, que contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), foi apresentada na Faculdade de Medicina da USP e teve a orientação da professora Valéria Maria Natale. Foram avaliados 20 corredores com idades entre 60 e 80 anos (média de 67 anos), praticantes do esporte há 23 anos (em média), e que correm cerca de 5 quilômetros por dia. O grupo controle era formado por 20 homens com idade média de 66 anos e que nos últimos 5 anos não praticaram nenhum tipo de atividade física. O terceiro grupo, composto por 10 homens sedentários entre 20 e 35 anos, estava há dois sem realizar atividades físicas.

Os 50 voluntários foram selecionados a partir de um protocolo (SENIEUR) que permitiu eliminar qualquer participante que tivesse tido alguma patologia que pudesse influenciar na investigação imunológica. Os participantes passaram por exames clínicos, laboratoriais e um inquérito farmacológico para saber se havia algum fator que poderia influenciar o funcionamento do sistema imunológico. Os selecionados também realizaram testes ergoespirométricos, para medir a capacidade cardio-respiratória (condicionamento físico).
Fonte: Valéria Dias, Agencia USP, 01/08/2005.

PUBLICIDADE






 

Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Artigos Relacionados:
Efeitos da corrida no sistema imunológico - Linfócitos, imunoglobinas e a corrida
Drenagem linfática
Desaquecimento para recuperação rápida
Anti-Oxidantes na dieta do esportista
Sexologia feminina
Ejaculação precoce - Como cuidar, controlar, exercícios para evitar e cura
Sexualidade feminina e prazer sexual da mulher
Vida sexual ativa, sexo e saúde
Tuberculose - O que é, transmissão, tratamento
Metástase - O que é câncer metastático e tratamento
Quadrantectomia e mastectomia - Cirurgias para câncer de mama
Cirurgia de reconstrução de mama - Reconstrução mamária com implante e com expansor de tecidos
Câncer de mama - Fatores de risco
Câncer de Mama - diagnóstico e tratamento
Sinusite - O que é, causas, sintomas
Desvio de septo nasal
Sinusite - Diagnóstico, tratamento e prevenção
Giardíase - Infecção por Giárdia
Amebíase
Disenteria bacteriana e amébica
Síndrome hemolítico-urêmica - O que é, causas, sintomas, tratamento
Escherichia coli
Intoxicação por Salmonela - Salmonelose
Leptospirose - Sintomas, transmissão e tratamento
Leptospirose
Doença do peixe cru - Difilobotríase
Cólera
Quem deve se vacinar contra febre amarela
Rotavírus
Enterobíase ou infecção por oxiúros - Sintomas e tratamento
Amarelão ou Ancilostomíase
Verminose por lombriga ou ascaridíase
Lombriga e Ascaridíase
Esquistossomose
Febre Tifóide
Calafrios - O que são, causas
Ciclo da malária
Sintomas da malária sem complicações e severa
Gripe suína e diabéticos - Influenza por vírus A (H1N1) e diabetes
Gripe suína e HIV - Influenza por vírus A (H1N1) e AIDS
Gripe Suína - Influenza A (H1N1) - Vacina, sintomas, como prevenir
Gripe suína e pneumonia invasiva
Gripe A
Gripe suína e amamentação do bebê - Amamentar e influenza por vírus A (H1N1)
Gripe suína e mulheres grávidas - Vírus influenza A H1N1 e a mulher grávida
Vacina para gripe suína ou influenza por vírus A (H1N1)
Remédio Tamiflu ® contra Gripe Suína - Medicamento antiviral para vírus influenza A H1N1
Gripe suína - Transmissão do vírus A (H1N1)
Pessoas com sintomas da gripe suína pelo vírus A (H1N1)
Gripe espanhola ou pandemia de influenza de 1918
Sintomas da gripe suína
Gripe suína ou Influenza por vírus H1N1
Gripe suína
Malária
Febre Amarela
Leishmaniose visceral e cutânea
Doença do Sono - Tripanossomíase africana e trypanossoma
Doença de Chagas - Transmissão pelo barbeiro, diagnóstico
Doença de Chagas
Dengue
Toxoplasmose na gravidez
Toxoplasmose
Infecção Alimentar
Brucelose - Febre de Malta
Resistência aos antibióticos
Por que lavar as mãos é importante
Lúpus e gravidez
Síndrome de Guillain-Barré
Doença celíaca ou alergia ao glúten
Doença celíaca
Lúpus - Causas, sintomas, diagnóstico
Lúpus - Tratamento
Lúpus eritematoso sistêmico

Mais na web:
Reforce seu Sistema Imune

Use essa ferramenta abaixo pesquisar nesse site:  

Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar: