Conjuntivite - Sintomas e diagnóstico

Exame de olho - NIDDK Image Gallery

Conjuntivite - Sintomas gerais

A conjuntivite pode ter muitas causas, mas na maioria dos casos ela resulta de infecção por vírus ou bactéria, ou de reação a um alérgeno. Independente da causa, conjuntivite sempre envolve inflamação (inchaço) do fino revestimento que envolve o interior da pálpebra e cobre toda a parte branca do olho. Porém, conjuntivite também tem outros sinais e sintomas, o quais podem variar dependendo da causa. Esses sinais e sintomas podem ser usados no diagnóstico do tipo de conjuntivite.

Conjuntivite viral - Sinais, sintomas e diagnóstico

Conjuntivite viral pode freqüentemente ser diagnosticada a partir de sinais e sintomas e do histórico do paciente. Por exemplo, se a conjuntivite acompanha resfriado comum ou infecção do trato urinário, e se secreção dos olhos é aquosa ao invés de espeça, a causa provavelmente é vírus. O histórico do paciente (como por exemplo ter contato com alguém com conjuntivite) e exame dos olhos também podem ser usados para ajudar no diagnóstico.

PUBLICIDADE

Testes laboratoriais não são geralmente usados no diagnóstico da conjuntivite viral. Porém, testes podem ser feitos se houver suspeita de forma mais severa de conjuntivite viral, como a causada pelo herpes simplex ou por varicela zoster.

Dependendo da causa da conjuntivite viral, alguns pacientes podem ter sintomas e condições médicas adicionais, como por exemplo:
* Resfriado comum ou outras infecções respiratórias.
* Febre faringoconjuntival.
* Queratoconjuntivite epidêmica, uma forma mais severa de conjutivite.
* Conjuntivite hemorrágica aguda, tipo de conjuntivite que algumas vezes envolve o sistema nervoso central.
* Queratoconjuntivite herpética, tipo de conjuntivite associada ao vírus herpes simplex e lesões em forma de bolhas na pele.
* Rubéola e sarampo.
* Doença de Newcastle.

PUBLICIDADE

Conjuntivite bacteriana - Sinais, sintomas e diagnóstico

Conjuntivite bacteriana pode geralmente ser diagnosticada a partir do histórico do paciente, sinais e sintomas. Por exemplo, se a conjuntivite acompanha infecção no ouvido e a secreção do olho é espessa ao invés de aquosa, a causa provavelmente é bacteriana.

Embora não seja feita rotineiramente, o médico pode colher uma amostra da secreção do olho para análise laboratorial a fim de determinar qual forma de infecção o paciente tem e a melhor forma de tratamento.

Dependendo da causa da conjuntivite bacteriana, alguns pacientes podem ter sintomas ou condições médicas adicionais, como:

* Conjuntivite bacteriana hiper-aguda. Esse é um tipo mais severo de conjuntivite que desenvolve rapidamente e é acompanhado por secreção amarelo esverdeada que retorna mesmo depois que removida dos olhos.

* Conjuntivite bacteriana crônica. Freqüentemente se desenvolve junto com outra condição inflamatória (blefarite) que promove ou crescimento de bactérias na pálpebra. 

* Conjuntivite clamidiana. Esse tipo é mais comum em recém-nascidos. Inclui vermelhidão do olho, inchaço das pálpebras e secreção de pus, geralmente entre 5 a 12 dias após o nascimento.

* Conjuntivite gonocócia. Mais comum em recém nascidos, inclui olhos vermelhos, pus espesso nos olhos, e inchaço das pálpebras. Ocorre geralmente de 2 a 4 dias após o nascimento.

* Tracoma. Conjuntivite folicular crônica que ocasiona cicatrizes na conjuntiva e córnea. Repetidas infecções ocorrem em crianças com menos de 10 anos de idade e é mais comum em países em desenvolvimento.

Conjuntivite alérgica - Sintomas e diagnóstico

A conjuntivite alérgica pode ser diagnosticada a partir do histórico do paciente e de sinais e sintomas. Esse tipo de conjuntivite é comum em pessoas que têm outros sinais de doença alérgica, como asma ou eczema. Conjuntivite alérgica resulta da reação da pessoa a substâncias para as quais são alérgicas.

PUBLICIDADE


Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Artigos sobre oftalmologia:
Conjuntivite - Como tratar
Conjuntivite - Prevenção
Conjuntivite viral, alérgica, bacteriana
Blefarite
Terçol ou hordéolo
Olho seco - O que é, sintomas, causas e tratamento
Estrabismo
Hipermetropia
Daltonismo - Causas e tratamento
Lentes de contato - Tipos de lente, uso prolongado, contínuo, coloridas, tóricas, descartáveis
Cirurgia de catarata - Nova técnica
Catarata ocular
Catarata - Sintomas e diagnóstico
Catarata - Tratamento e prevenção
Catarata - Causas, cirurgia
Astigmatismo - O que é, sintomas, causas, tratamento
Astigmatismo
Cirurgia Lasik dos olhos
Glaucoma - 2a causa de cegueira
Cegueira noturna ou Nictalopia
Ambliopia - O que é, causas, tratamento
Miopia - O que é, sintomas, tratamento e correção
Miopia
Antibiótico para cegueira
Olheiras - Causas
Blefaroplastia - Remover pele enrugada e descaída das pálpebras
Degeneração macular relacionada à idade e juvenil
Alergia - Tipos de Alergias
Neurite ótica
Plástica ocular - Doenças nas pálpebras
Glaucoma - Doença silenciosa que pode causar cegueira
Teste do olhinho evita cegueira infantil
Deslocamento de retina
Glaucoma - Tratamento
Glaucoma - Sintomas, detecção e diagnóstico
Glaucoma - O que é, tipos, de ângulo aberto
Glaucoma
Problemas de visão - Isolamento do idoso pode ser um sintoma
Conjuntivite em bebê recém-nascido ou neonatal

Artigos relacionados:
Cosméticos e sua saúde
Água - importante e esquecida
Maquiagem
Rubéola
Resistência aos antibióticos
Por que lavar as mãos é importante
Sepse - Neonatal, sintomas, tratamento e choque séptico
Vacina contra pólio - Vacinação de poliomielite
Rubéola - Transmissão, complicações e síndrome da rubéola congênita
Vacina Tríplice viral MMR contra caxumba, sarampo e rubéola
Vacina contra rubéola
Poliomielite - Paralisia infantil
Caxumba - O que é, sintomas, transmissão, prevenção
Caxumba
Sarampo
Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: © 2010, Hélio Augusto Ferreira Fontes.
Texto: Centers for Disease Control and Prevention