Anorexia Alcoólica ou Drunkorexia

Bebidas - CDC/ Debora Cartagena

A anorexia alcoólica, também conhecida como Drunkorexia (termo criado nos EUA) não é uma doença e sim um sintoma do alcoolismo. R

esume-se por perda de apetite provocada pelo consumo excessivo de álcool. É um tema controverso já que há duvidas se devemos considerar um transtorno alimentar especificamente - muitas mulheres jovens preocupadas com a imagem corporal têm o problema caracterizado como anorexia - ou uma deficiência metabólica, conseqüência consequência de uma dependência química em estágio avançado.

O assunto está em pauta e será muito discutido na novela "Viver a Vida", da Rede Globo. A personagem Renata, vivida pela atriz Bárbara Paz, foi diagnosticada com o distúrbio e sofrerá muito até aceitar que precisa de cuidados médicos.

A trama possibilita difundir informações, principalmente aos pais e responsáveis por meninas - a partir de 18 anos - que possam apresentar indícios de distúrbios alimentares e/ou de consumo de álcool. Com esta identificação, é possível procurar ajuda precoce.

PUBLICIDADE

Noventa por cento dos casos de anorexia nervosa são encontrados em mulheres. A freqüência vem aumentando devido ao culto à magreza provocado pela mídia e, conseqüentemente, aos valores distorcidos incentivados pela sociedade.

Em busca de um corpo perfeito como os das atrizes, modelos e cantoras, as mulheres jovens tendem a procurar formas de chegar ao aspecto físico desejado. É nesta hora que a anorexia pode se manifestar.

A Drunkorexia pode atingir mulheres a partir dos 20 que ingerem quantidades cada vez maiores de bebidas alcoólicas e restringem a ingestão de calorias na tentativa de manter o corpo magro. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), o alcoolismo atinge cerca de 12% da população feminina mundial.

No Brasil, ainda não existem dados sobre a Drunkorexia, porém, há índices que associam o alcoolismo feminino aos transtornos psicológicos como bulimia, anorexia, ansiedade e depressão.

PUBLICIDADE

O álcool se torna uma forma de anestesiar as emoções negativas e, na busca por um corpo perfeito, a bebida é usada para reduzir a compulsão por alimentos e o apetite. Além disso, os efeitos do álcool amenizam os sintomas psicológicos e, quando ingerido com o estômago vazio, a ação é ainda mais rápida, tornando-o um "grande aliado".

Mesmo sendo uma fonte calórica, o álcool substitui o alimento sob a forma de "calorias vazias", pois ele não é utilizado eficientemente pelo organismo como uma forma de combustível.

Tanto a digestão como a absorção das calorias são prejudicadas, já que a nutrição nestas condições ocorre sob a influência de um déficit de tiamina, vitamina B12, ácido fólico, zinco e aminoácidos.

Com o metabolismo alterado, os micronutrientes (folato, tiamina, piridoxina, vitamina A, vitamina D, zinco, selênio, magnésio e fósforos) sofrem alterações. As conseqüências desta doença resumem-se a distúrbios nutricionais importantes com alterações orgânicas como arritmias, convulsões, doenças neurológicas, anemia, distúrbios menstruais, alterações da tireóide e endócrina. Portanto, além da perda de apetite, complicações como esofagite, gastrite hemorrágica, hepatite alcoólica e diabetes secundária podem ocorrer.

Recusa em se manter no peso mínimo indicado para a altura e idade (ou um pouco acima disso), medo intenso de engordar, distorção da imagem corporal e alterações do ciclo menstrual sem causa aparente associados ao consumo de álcool em substituição dos alimentos são alguns sinais da anorexia alcoolica.

O tratamento é feito com terapia comportamental e acompanhamento nutricional para controle das duas doenças associadas: o transtorno alimentar e o alcoolismo. São necessárias estratégias como trabalhos de grupo, reuniões do AA (Alcoólicos Anônimos) e avaliações clínicas para medir e tratar os prejuízos orgânicos do consumo.

Saiba mais:
Perturbações do espectro do álcool fetal e Síndrome do alcoolismo fetal
Álcool e problemas de saúde
Transtorno Dismórfico Corporal - Anorexia, Drunkorexia, Bulimia, Vigorexia
Tratamento da bulimia e anorexia - Perguntas e respostas
Compulsão alimentar na bulimia nervosa
Tratamento da bulimia e anorexia - Perguntas e respostas
Anorexia Nervosa - Definição, causas, tratamento
Auto-imagem e desordens alimentares
Bulimia nervosa
Ortorexia nervosa
Compulsão alimentar
Transtornos alimentares
Alimentação das modelos
Anorexia e bulimia - Perguntas e respostas
Álcool e as festas de fim de ano
Defeitos de Nascença - Genética, consumo de álcool, drogas e cigarro
Treino depois de festas
Ressaca ou Veisalgia
Alcoolismo familiar
Transtornos alimentares - Quando comer vai aos extremos


PUBLICIDADE



Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Artigos relacionados:
Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Dra. Patrícia A. de Oliveira é médica-nutróloga responsável pela EMTN (Equipe Multidisciplinar de Terapia Nutricional) do Hospital Bandeirantes
Sobre o Hospital Bandeirantes:
Localizado no bairro da Liberdade, região central da capital paulista, o Hospital Bandeirantes tem 34 anos de existência e é referência em atendimentos de alta complexidade, com know-how nas áreas de atenção cardiovascular, oncologia, transplantes e cirurgias especializadas. Faz parte do Grupo Saúde Bandeirantes, junto com o Hospital Leforte, no Morumbi, Hospital Glória, na Liberdade, Hospital Lacan, para atendimento psiquiátrico, em São Bernardo do Campo, e Regional do Vale do Paraíba, em Taubaté.

Dados da Notícia:
Data de inclusão: 26/10/2009 
Empresa: PORTA-VOZ
Fone: (11) 3871-3666 
E-mail: michele.sene@portavoz.com.br
Contato: Michele Sene